Primeiro dos EUA: Aeroporto de Orlando implementa reconhecimento facial em vôos internacionais

Crédito: Orlando Sentinel

Aeroporto vai implantar até agosto deste ano cabines de verificação e escaneamento facial para registrar entradas e saídas de passageiros de vôos internacionais. Segundo o Vice-diretor de Triagem Biométrica da Alfândega e Proteção das Fronteiras americanas, Dan Tanciar, as fotos de cidadãos estrangeiros serão mantidas no sistema por 75 anos.

Orlando-FL – Mais de 200 passageiros fizeram fila no Aeroporto Internacional de Orlando antes de embarcar com destino a Londres. Os passageiros entraram em um vagão ao estilo de metrô e se posicionaram sobre pegadas amarelas enquanto olhavam fixamente para câmeras posicionadas a um metro de distância de seus rostos.

Depois que seus rostos ficaram em foco nas telas das câmeras, as portas do vagão se abriram, permitindo que os passageiros encontrassem seus lugares em um Boeing 777 que estava esperando. Os passageiros não mostraram nenhum cartão de embarque, passaporte ou qualquer outra identificação. Em vez disso, um computador de proteção alfandegária e de fronteira dos EUA estava comparando a foto do passaporte de cada viajante no arquivo – ou uma foto de visto dos que não eram dos EUA – com o retrato recém-capturado.

TESTES

Durante vários meses, o aeroporto trabalhou com a British Airways para testar o reconhecimento facial ou a triagem biométrica. Recentemente, a Greater Orlando Aviation Authority avançou o projeto para equipar o aeroporto como o primeiro no país a usar a tecnologia para todos os voos internacionais de entrada e saída.

Crédito: Orlando Sentinel

John Newsome, diretor de informações do aeroporto, disse que todas as 25 companhias aéreas do aeroporto com vôos estrangeiros e os dois postos de fronteira serão equipados para triagem biométrica durante o verão deste ano. A decisão significa gastar US $ 4 milhões em portões e câmeras de alta definição para vôos internacionais que partem e chegam.

O aeroporto de Orlando agora é o 11º mais movimentado dos EUA e o 39º aeroporto mais movimentado do mundo. Dos mais de 45 milhões de passageiros anualmente, cerca de 6 milhões são internacionais.

Newsome forneceu detalhes sobre a adoção de triagem biométrica pelo aeroporto – incluindo como as fotos são comparadas com uma galeria de imagens temporariamente montada para cada voo -, mas destacou dois pontos. “É muito menos incômodo para o passageiro. É muito menos trabalhoso para quem viaja”, disse Newsome.

INVASÃO DE PRIVACIDADE

Em uma era de violações de privacidade online, roubo de informações financeiras e temores de vigilância governamental, Orlando International e Customs and Border Protection estão prontamente equipados com pontos de discussão sobre o que acontece com as imagens de alta definição feitas para a triagem biométrica.

Crédito: Orlando Sentinel

Na velocidade digital, eles explicaram, as fotografias são combinadas com fotos dos passaportes ou vistos. A agência de fronteira, em seguida, emite um aviso para a companhia aérea e um comando para o portão mecânico.

Normalmente, alguns passageiros são rejeitados e direcionados ao pessoal de embarque, geralmente por questões menores, como discrepâncias nos detalhes dos ingressos ou óculos que obscurecem a foto ao vivo, disse Newsome. “Neste momento, muito do nosso sistema de justiça criminal é baseado no biográfico e agora estamos adicionando o biométrico, o que é bastante útil para determinar quem deve ou não entrar no país”, disse Colleen Manaher, da Alfândega e Proteção de Fronteiras.

 Dan Tanciar, vice-diretor de Triagem Biométrica da Alfândega e Proteção de Fronteiras, disse que as fotos de cidadãos estrangeiros serão mantidas por 75 anos. “Para os cidadãos dos EUA, tiramos essa foto e a combinamos com um documento, e logo depois descartamos a foto ao vivo”, disse Tanciar. Por enquanto, a agência manterá as fotos por 14 dias como parte da validação da precisão do programa “Em algum momento no futuro, esse período vai encolher e as fotos dos cidadãos dos EUA provavelmente não serão mantidas”, disse Tanciar.

OUTROS AEROPORTOS

A Alfândega e Proteção de Fronteiras tem uma sugestão para os passageiros preocupados com a triagem biométrica: solicite uma verificação manual. No ano passado, a triagem biométrica também foi testada pela Delta no JFK e Atlanta International, Lufthansa na Las Angeles International e pela JetBlue em Boston.

Com informações: Orlando Sentinel