Ajudar ao próximo faz bem à saúde, aponta estudo

Débora Braga - Dirige projeto Canoário Vera Lúcia Braga em Ilha Grande RJ

Doações e ações sociais marcam período de Natal. Voluntária explica a importância de manter as boas atitudes durante todo o ano

Crianças correndo na terra, brincando em um largo campo sob o sol, compartilhando risadas e histórias criativas cheias de fantasia. Sem pensar nas dificuldades e na violência que assola a cidade, meninos e meninas de diferentes idades se reúnem para brincar quase todos os dias. Em dias tranquilos, onde os pais se sentem seguros em deixar os filhos interagirem, sem riscos, com a turminha.

O cenário é em Angra dos Reis, na Costa Verde do Rio. O local tem registrado altos índices de criminalidade. Só em setembro, omunicípio teve nova troca de tiros durante os três primeiros dias, mais do que as comunidades Cidade de Deus e Jacarezinho, no Rio. Em agosto foram 57 tiroteios nas localidades. As informações são do aplicativo “Onde Tem Tiroteio”.

Débora Braga. Educadora e Ativista no Brasil e na Colômbia

Algumas datas comemorativas pausam o cenário de medo e abandono que assolam a comunidade e atraem atenção de ações sociais. Dia das Crianças e Natal, por exemplo, movimentam o bairro com presentes e visitantes esporádicos. “Este lugar carece de cuidados não apenas nestes dias. Manter um projeto que beneficia não só as crianças, mas também a família delas é muito gratificante”, ressalta a educadora Débora Braga. A ativista atua na região há mais de 30 anos com o projeto ‘Canoário Vera Lúcia Braga’, que leva o nome de sua mãe, idealizadora da ação.

Além de voltar os olhos ao Brasil, Débora mantem ainda um projeto de assistência na Colômbia. “Entendo que, independente da nacionalidade, idade, cor ou religião, somente a partir da educação permanente será possível resgatar a dignidade humana em comunidades degradadas por inúmeros fatores. Eles precisam de incentivo para ver o mundo com outros olhos. Precisam saber que eles podem se superar e buscar um futuro melhor”, enfatiza.

E fazer o bem reflete na boa saúde. Um estudo publicado no periódico BMC Public Health e produzido pela Universidade de Exeter, no Reino Unido, mostrou que ser voluntário pode melhorar a saúde mental e proporcionar uma vida mais longa. Ao analisar autoavaliações de adeptos da prática, os especialistas concluíram que eles têm índices mais baixos de depressão e níveis altos de satisfação pessoal e bem-estar. Os cientistas pretendem, agora, confirmar se a relação indicada pelos relatórios pode ser sustentada.

Débora Braga tem 57 anos, é natural de São Paulo. É Professora Montessoriana (Especialização na área da educação docente), Pedagoga e ativista pelos direitos da pessoa humana. Há mais de 30 anos dirige o projeto iniciado por sua mãe, a ativista Vera Lúcia Braga, na praia do longa localizada na Ilha Grande-RJ. Também, há nove anos, coordena o mesmo projeto de restauração da dignidade humana na zona cafeeira da Colômbia. Atuou por 12 anos na Multinacional Farmacêutica alemã, Hoechst do Brasil. Presidiu as Associações de Professores, Pais e Alunos – PTA na Westminster School, localizada no México e a PTA da Nicholas School localizada em São Paulo. Fala Francês, Alemão, Inglês, Espanhol e Português.