Confiança do empresário industrial volta a crescer, aponta CNI

Benjamin Sanossian - Diretor Executivo Alumínio Globo

Em ascensão pelo segundo mês consecutivo, levantamento referente a outubro expressa trajetória positiva das expectativas do setor com relação à economia nacional

O empresário da indústria voltou a mostrar maior confiança. O Índice de Confiança do Empresário Industrial (Icei), apresentou aumento satisfatório de 0,9 pontos entre setembro e outubro, fechando em 57,8. Em detrimento da queda verificada no meses anteriores (53,55 em junho; 56,3 agosto; e 55,9 em setembro), o Icei retoma a trajetória de crescimento. Esta foi a maior pontuação observada desde maio deste ano.

Ainda segundo o levantamento divulgado pela Confederação Nacional da Industria (CNI), o fator decisivo para o índice alcançado no último mês pode ser atribuído exclusivamente à melhoria de expectativas do empresário, que ascendeu de 1,9 pontos para 57,8 pontos.

As expectativas com relação à economia nacional e à empresa são otimistas. “O período em que estamos agora, final do ano, é de grande movimentação na indústria. Geramos empregos e estamos com grandes expectativas para o nosso setor”, enfatiza Diretor Executivo da Alumínio Globo, Benjamin Sanossian.

A confiança do consumidor também cresceu, e mantem uma trajetória de crescimento, expressando o maior valor registrado desde outubro de 2014. O Índice Nacional de Expectativa do Consumidor (Inec), também divulgado pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), atingiu 110,6 pontos em outubro, uma alta de 4,4% em relação a setembro. O índice ficou acima da média histórica de 107,7 pontos e atingiu o maior valor registrado desde outubro de 2014. Esse foi o quarto avanço consecutivo no indicador.

A maior alta no mês é o índice de situação financeira (8,9%), indicando crescimento do porcentual de consumidores que acreditam em melhora de sua situação financeira. Há também um maior otimismo com relação à queda da inflação, do desemprego e do aumento da renda. O indicador aponta ainda uma expectativa de queda do endividamento.

“Sem dúvidas a recuperação da confiança do consumidor nos impulsiona ainda mais. Este comportamento, em um futuro muito próximo, refletirá em um aumento do consumo e, assim, podemos ver de forma mais concreta investimentos, a recuperação da atividade industrial e o surgimento de oportunidades de trabalho”, afirma Sanossian, que tem larga experiência em gestão executiva de empresas de grande porte.

Ambos levantamentos foram feitos pela CNI. O Icei foi realizado entre o período de 1º a 15 de outubro de 2018, com 2.759 empresas, sendo 1.094 de pequeno porte, 1.034 de médio porte e 631 de grande porte. Já o Inec, em parceria com Ibope Inteligência, ouviu, entre os dias 18 e 22 de outubro, 2.002 pessoas, em 142 municípios.

*Benjamin Sanossian, 49 anos de idade, reside em São Paulo e dirige a fábrica Alumínio Globo há mais de 32 anos. É graduado em Administração de empresas pela FMU e possui larga expertise em gestão executiva de empresas de grande porte. O especialista tem vivência na área comercial, envolvendo formação, capacitação, administração e liderança de equipes em âmbito nacional e regional.