Polícia da Imigração faz arrastão de inspeção em empresas na Califórnia

Homeland Security Investigations, um braço da ICE, está visando cada vez mais empregadores suspeitos de contratar trabalhadores no país ilegalmente. (Gary Coronado / Los Angeles Times)

Durante uma operação que durou cinco dias na área de Los Angeles mais de 120 empresas foram visitadas pelos agentes de imigração. O Diretor interino da agência de imigração ICE afirmou que a ideia é ampliar em 400% a verificação de locais de trabalho a fim de identificar e deportar imigrantes ilegais e multar os empregadores.

LOS ANGELES – De acordo a agência Immigration and Customs Enforcement – ICE as inspeções fazem parte de uma onda renovada de esforços para reprimir a imigração ilegal sob a gestão de Donald Trump. As autoridades federais intensificam as auditorias das empresas, na esperança de identificar os empregadores que contrataram pessoas que estejam ilegalmente nos EUA.

Funcionários disseram que o propósito das auditorias é duplo: punir os empregadores e funcionários que quebram as regras, bem como desencorajar as pessoas a entrar ilegalmente para trabalhar nos EUA, o que a muito tempo gera polêmica por alguns considerarem que esta prática retira oportunidades de trabalho dos cidadãos e residentes legais.

“É um impedimento para alguém que esteja pensando em atravessar a fronteira, pagar um contrabandista e levar essa perigosa jornada. Se não houver esse fator de atração ou promessa de emprego fácil percebido do outro lado, não há esse incentivo para cruzar a fronteira”, disse Dani Bennett, porta-voz da ICE.

MAIOR RIGOR

Depois que o governador da Califórnia, Jerry Brown assinou a lei considerando o estado como santuário, o diretor de ação da ICE, Thomas Homan, alertou a Califórnia dizendo publicamente: “melhor se preparar”.

A política ostensiva para inspecionar empresas não é novidade. De acordo com as estatísticas fornecidas pelo ICE, o pico de ações foi em 2013 sob a gestão do presidente Barack Obama, com mais de 3.100 inspeções realizadas neste ano fiscal. O governo Obama mudou o foco para deportar os condenados por crimes graves. No ano fiscal de 2017, a ICE afirmou ter completado 1.360 auditorias (inspeções) nos EUA.

As auditorias podem levar a multas civis e até mesmo processos penais se acharem que os empregadores violaram a lei, afirmam as autoridades da ICE. Nas buscas os agentes inspecionam os arquivos da empresa em busca de dados e registros de empregadores, inclusive aqueles que já tenham sido desligados da empresa.

TRABALHO LEGAL NOS EUA

Durante anos a lei federal não impediu a contratação de pessoas ilegais no país. Isso mudou em 1986, quando o então presidente Reagan assinou a Lei de Reforma e Controle da Imigração, comumente chamada IRCA. Ele concedeu residência a 3 milhões de pessoas sem status legal no país, reforçou o controle na fronteira e, pela primeira vez, estabeleceu penalidades para a contratação ilegal de pessoas no país.

Com informações: LATimes